Categorias

6 formas de ganhar dinheiro com um e-commerce

Ganhar dinheiro com e-commerce

Você já parou para pensar que a maioria dos negócios, atualmente, são online? Passou a época em que lojas físicas eram o foco da população. De acordo com a pesquisa Webshoppers, feita pela Ebit em parceria com a Elo, nós temos 27,4 milhões de consumidores de lojas virtuais ativos. Não só isso, o faturamento do e-commerce nacional subiu R$ 1,5 Bilhões em 2018.

O e-commerce em si é uma modalidade de negócio e tem, como principal característica, a venda por meios eletrônicos apenas.

Com essa enorme expansão que está ocorrendo desde 2014, decidimos apresentar para vocês algumas formas de ganhar dinheiro com um e-commerce!

 

1. Marketing Digital

 

O Marketing Digital é umas das maiores fontes de divulgação hoje em dia, sabia? E é imprescindível que uma pessoa saiba um pouco sobre marketing digital quando falamos em e-commerce. O Marketing Digital é a união de atividades que alguém reproduz online com a intenção de divulgar a marca, negócio, modelo de negócio, evento e entre outros.

Conheça um pouco mais sobre os tipos de marketing digital:

  • Inbound Marketing

O Inbound Marketing é uma estratégia de Marketing Digital utilizada mundialmente e que traz muito resultado para aqueles que conseguem aplicar de forma correta. Inbound Marketing é a utilização de conteúdo, materiais e dados informativos para captar possíveis clientes. O Inbound Marketing pode ser realizado através de e-books, infográficos, quiz, vídeos explicativos, textos e etc.

A forma mais simples de aplicar essa estratégia é começar a criação! É sério, é só começar a criar conteúdo. Recomendamos que você crie uma persona para direcionar o seu conteúdo para as pessoas que mais têm interesse no seu e-commerce. Você pode postar esses conteúdos nas redes sociais e no seu site (em uma área de blog) para aumentar o fluxo de pessoas no site e potencializar o SEO do site.

  • Redes Sociais

Quando falamos de Marketing Digital, a primeira coisa que vêm na cabeça é Facebook ou Instagram, não? É um pouco normal porque é onde tudo se encontra. Mais de 90% das pessoas possui alguma rede social e, com o Facebook e o Instagram sendo as mais populares, é o que a maioria das pessoas acaba pensando.

As redes sociais são muito importantes para a construção da marca. Elas garantem a visibilidade e projetam uma ideia de como a empresa é para o consumidor. Ainda por cima, elas trazem flexibilidade para divulgar conteúdos, materiais, promoções, eventos e muito mais.

Você pode impulsionar as suas publicações também para que pessoas que não conhecem você ou a sua página vejam. Por isso, é de extrema importância que as suas redes sociais estejam em dia! Pense fora da caixa, use outras redes sociais menos populares, crie estratégias e faça o maior proveito do que as redes sociais podem trazer. Outras redes sociais: WhatsApp, Youtube, Twitter, Linkedin, Pinterest, Google+.

  • E-Mail Marketing

Você já pensou sobre como aparecem aqueles e-mails aleatórios na sua caixa de entrada? Isso é uma ação que muitas empresas praticam, chamada E-Mail Marketing. Com uma base de clientes e potenciais clientes estruturada, você pode encaminhar uma mensagem para toda a sua base. Seja sobre promoção, materiais ou eventos, o E-Mail Marketing garante a mesma flexibilidade que outras plataformas trazem.

Ao mesmo tempo que o E-Mail Marketing traz flexibilidade, ele é uma estratégia frágil e deve ser bem estruturado. Você deve tomar cuidado para o e-mail não cair na caixa de spam do cliente e deve usar uma base própria! Existem alguns métodos para não cair na caixa de spam e recomendamos que estude bastante com relação a isso. Uma base comprada não será efetiva para o que busca visto que as pessoas não terão nem o conhecimento mínimo do seu negócio e muitos dos cadastros nessa base não existem ou foram desativados.

  • SEO

SEO. Essa é uma palavra que vive aparecendo e que todo mundo usa. SEO significa Search Engine Optimization ou, em português, Otimização do Mecanismo de Busca. Basicamente, é uma estratégia que visa otimizar a sua página para os leitores e para os Bots do Google. O SEO dependerá de como seu site está estruturado e existem várias técnicas para ajudar o no ranqueamento da sua page. O SEO é o que chamamos de resultados orgânicos e você não precisará pagar para anunciar.

  • Google Ads

O Google Ads (ou antigo Google Adwords) é onde ocorrem os investimentos de divulgação, em primeira instância. O Ads é o serviço de publicidade primário do Google. Basicamente, você estará investindo em palavras-chave e pagará por cliques e impressões (PPC e PPV). O Ads é o que deixa o seu site em primeiro lugar nas buscas de uma palavra-chave e deixa uma pequena Tag embaixo do site escrito “anúncio”. Exatamente, todos aqueles anúncios que você viu quando pesquisou alguma coisa no Google fazem parte do Google Ads.

Além desses citados acima, existem ainda diversos outros meios de marketing digital que você pode aplicar em seu e-commerce.

 

2. Estruturar e Integrar os Canais de Venda

 

Antes de iniciar um negócio, precisamos mapear a forma que interagiremos com o cliente final. Em um e-commerce, é de extrema importância que o seu contato com o cliente seja rápido e pessoal. Há várias formas de estruturar os canais que você irá trabalhar e diversas ferramentas que podem te ajudar.

Tratando-se de e-commerce, seu negócio provavelmente terá vários canais de venda, tais como: chat, WhatsApp, loja física, telefone e etc. Logo de cara, parece ser meio difícil conciliar tudo né?

Pensando nisso, surgiu uma estratégia de venda chamada Omnichannel que é, basicamente, vários canais de vendas interagindo um com o outro sem impactos negativos.

O Omnichannel começou com o passar dos anos e acredita-se que teve início nos anos 90. Então, com o crescimento da tecnologia, o Omnichannel virou uma estratégia implacável para o desenvolvimento de um negócio.

Quanto mais canais para o cliente entrar em contato, melhor. Portanto, crie o máximo de interação possível e pense em como conectá-los de forma saudável para que a experiência do consumidor final seja a melhor possível. Consequentemente, com a melhora na experiência do cliente no seu site, o rendimento do seu negócio aumentará exponencialmente.

 

3. Gerenciamento de Clientes e Vendas

 

Em um tópico anterior, nós mencionamos o e-mail marketing e como é necessário trabalhar com uma base de qualidade, ao invés de comprar uma base feita. Um bom gerenciamento dos seus clientes e vendas pode solucionar esse problema.

Existem diversas maneiras e softwares para fazer essa gestão, por isso, vamos apresentar o que aplicamos para a maioria dos nossos franqueados e que analisamos com um retorno positivo. A metodologia que aplicamos é o uso de um CRM. O CRM, ou Customer Relationship Management, é uma técnica para gerenciar as relações entre a sua empresa e seus atuais e futuros clientes. O conceito em si é simples, porém o CRM é muito mais complicado do que realmente parece.

O CRM pode ser organizado por softwares ou em uma simples planilha. Essa técnica é flexível e permite que o usuário faça o controle específico de cada um dos seus clientes permitindo a pró-atividade de vendas e, em consequência, aumentando a performance do negócio. Nele, é necessário constar as informações básicas do cliente ou possível cliente. Seria interessante, também, colocar informações extras para facilitar o contato com o cliente, como histórico de vendas e observações da última conversa.

 

4. Fidelização do Cliente

 

Tudo certo com as estratégias de marketing. Tudo certo com o gerenciamento dos clientes. Tudo certo com os canais de venda. Agora, precisamos fidelizar esse cliente para que ele compre com você sempre! Novamente, existem diversas técnicas para construir essa relação, porém iremos apresentar somente algumas que usamos aqui na Brasil Nutri Shop.

A primeira e mais básica de todas é a promoção. Uma simples promoção pode acarretar na fidelização do cliente e, caso tenha promoções frequentes e de mesmo calibre, o consumidor voltará a comprar no seu site.

Temos também a estratégia de isca que usa o mesmo conceito da promoção. A técnica consiste em utilizar um produto que seja popular no seu site e abaixar o preço dele, muito. Dessa forma, as pessoas entram no site para fazer a compra do produto e, na maioria das vezes, não compram somente a isca e, sim, outros produtos que contém uma margem de lucro agradável.

Brindes são ótimos ativadores de fidelidade e, convenhamos, quem não gosta de ganhar brindes em compras? De preferência, utilize produtos que tenham baixo custo ou até mesmo nenhum custo. O segredo para os brindes funcionarem é demonstrar para o cliente que ele está ganhando algo único e somente ele está sendo beneficiado.

Como trata-se de e-commerce, você poderá utilizar cupons-desconto como estratégia de fidelização também. Os cupons de desconto são uma forma única de fidelização e só é possível utilizar essa estratégia com negócios online, por isso, faça proveito! Nós deixamos disponível essa tática para todos os franqueados da nossa rede e eles podem criar quantos cupons quiserem.

 

5. Indicadores de Desempenho (KPIs)

 

Várias empresas utilizam os indicadores de desempenho, atualmente, e é essencial aplicá-las no seu site também! Indicadores de desempenho ou KPIs (Key Performance Indicators), são métricas-chave de desempenho que irão avaliar o seu processo.

Como no CRM, os indicadores de desempenho podem ser feitos em uma simples planilha ou por softwares que facilitam a visualização. Independente da forma que irá fazer, é necessário que você deixe os indicadores fáceis de ler e criar um Dashboard agradável. Dashboard é, basicamente, um painel de apresentação para facilitar a leitura dos dados apresentados.

Quais dados apresentar nos indicadores?

Os melhores dados para apresentar são os que impactarão no seu negócio. No caso de um e-commerce, existem alguns dados que são extremamente importantes constar, como: ticket médio mensal, quantidade de pedidos realizados, quantidade de carrinhos abandonados, faturamento médio mensal, lucro líquido mensal, quantidade de novos contatos no CRM e etc. Há outros dados que são importantes também e, caso você veja a necessidade, inclua nos seus indicadores.

Por que apresentar esses dados mensalmente?

Com esses dados, você conseguirá medir a sua eficiência e verificar onde pode melhorar. Além disso, é possível criar um plano de ação para o mês subsequente e aumentar os resultados. Por exemplo, o ticket médio está baixo. Vamos então estruturar um plano de ação para aumentar o ticket médio do site, aumentando o número de combos, aumentando o número produtos exclusivos vendidos e criando propostas limitadas por tempo.

 

6. Ferramentas de Suporte

 

Como último tópico, deixamos as ferramentas de suporte que são complementares para vários tópicos anteriores. Ferramentas de suporte são todos e quaisquer softwares que ajudarão no desempenho do seu negócio e existem diversos gratuitos e pagos espalhados pela internet.

Essas ferramentas irão auxiliar em praticamente tudo. Você pode ter uma ferramenta para CRM, uma para gestão de logística, uma para Chat, uma para gerenciar as redes sociais e por aí vai. Essas ferramentas são alterações que beneficiam a qualidade de vida do seu e-commerce e podem ser a chave para ele fluir.

Algumas ferramentas conhecidas no mercado são: E-Goi, Hubspot, Google Analytics, MailChimp, Tawk.to, Jivochat e etc.

Voltar